PUBLICAÇÕES

Passeio Melhorando a Qualidade de Vida

Compartilhar

No dia 28/11, a Unidade Oblata Diálogos Pela Liberdade realizou passeio com as mulheres, com o objetivo de despertar a importância de cultivar o bem-estar hábitos de vida mais saudáveis e uma melhor qualidade de vida.

O passeio aconteceu no Acampamento Shalom – Sabará – MG. A pouco mais de 35 minutos do Centro de BH. Um espaço propício para entrar em contato com a nossa essência primeira, através da natureza. (http://acshalommg.blogspot.com/).

Foi um dia de lazer, espiritualidade integradora, consciência de si e d@ outr@, despertar da força feminina a partir da reflexão histórica das nossas origens e resgate da força de vida que há em cada mulher.

Depois de comemorar a festa da Consciência Negra, nos 16 dias de ativismo, Isabel Brandão (psicóloga) trouxe a história d@s Bonec@s Abayomi, símbolo de resistência, tradição e poder feminino. Segue um pouquinho dessa história:

Para acalentar seus filhos durante as terríveis viagens a bordo dos tumbeiros – navio de pequeno porte que realizava o transporte de escravos entre África e Brasil – as mães africanas rasgavam retalhos de suas saias e a partir deles criavam pequenas bonecas, feitas de tranças ou nós, que serviam como amuleto de proteção. As bonecas, símbolo de resistência, ficaram conhecidas como Abayomi, termo que significa ‘Encontro precioso’, em Iorubá, uma das maiores etnias do continente africano cuja população habita parte da Nigéria, Benin, Togo e Costa do Marfim. Sem costura alguma (apenas nós ou tranças), as bonecas não possuem demarcação de olho, nariz nem boca, isso para favorecer o reconhecimento das múltiplas etnias africanas”. (http://www.afreaka.com.br/notas/bonecas-abayomi-simbolo-de-resistencia-tradicao-e-poder-feminino/). 

Lucinete Santos (Educadora Social) orientou na confecção da boneca através de uma oficina, onde cada participante, depois de conscientes do significado sócio-histórico e cultural, foi convidada a confeccionar a sua Abayomi, fundamentadas nas lutas, resistências e superações ao longo da vida.

Ir. Alexandra (religiosa Oblata do Santíssimo Redentor), abrilhantou a tarde acompanhando com seu violão os mais diversos ritmos, cantos e músicas que fizeram e fazem parte da história de cada uma.

IMG_7866

Enquanto isso, na cozinha do acampamento, Elis Sena e Ir. Leonira Camatta preparavam um delicioso almoço.

IMG_7794

É a Unidade Oblata Diálogos pela Liberdade na promoção da qualidade de vida e direito ao lazer e cultura para as mulheres.

Conteúdos do blog

As publicações deste blog trazem conteúdos institucionais do Diálogos pela Liberdade – Unidade da Rede Oblata Brasil, bem como reflexões autorais e também compartilhadas de terceiros sobre o tema prostituição, vulnerabilidade social, direitos humanos, saúde da mulher, gênero e raça, dentre outros assuntos relacionados. E, ainda que o Instituto das Irmãs Oblatas no Brasil não se identifique necessariamente com as opiniões e posicionamentos dos conteúdos de terceiros, valorizamos uma reflexão abrangente a partir de diferentes pontos de vista. A Instituição busca compreender a prostituição a partir de diferentes áreas do conhecimento, trazendo à tona temas como o estigma e a violência contra as mulheres no âmbito prostitucional. Inspiradas pela Espiritualidade Cristã Libertadora, nos sentimos chamadas a habitar lugares e realidades emergentes de prostituição e tráfico de pessoas com fins de exploração sexual, onde se faz necessária a presença Oblata; e isso nos desafia a deslocar-nos em direção às fronteiras geográficas, existenciais e virtuais. 

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *