PUBLICAÇÕES

Diálogos aborda direitos das garotas de programa em forma de quadrinhos

Ilustração Garotas do Hotel - Diálogos pela liberdade
Compartilhar

O Projeto Diálogos pela Liberdade assume sua missão numa nova perspectiva de sensibilização em 2015.  Atuando na problemática que afeta diretamente as mulheres que exercem a prostituição, o projeto visa o enfrentamento do estigma sofrido pelas garotas de programa, da desigualdade de  gênero e da violência contra a mulher.

Ilustração Garotas do Hotel - Diálogos pela liberdade
Ilustração Garotas do Hotel – Diálogos pela liberdade (Direitos reservados)

Para abordar de forma direta os problemas vividos pelas mulheres no exercício da prostituição nos hotéis da rua Guaicurus, está sendo criado o primeiro exemplar de uma revista em quadrinhos voltada para a conscientização sobre a realidade do cotidiano dessas mulheres. Com o título de GAROTAS DO HOTEL , o trabalho busca olhar de dentro para fora com o objetivo de mostrar, criativamente, o cotidiano delas. A intenção também é empoderá-las com informação para que elas possam lutar por seus direitos, já que esses são frequentemente violados pelos donos dos locais e outras pessoas que lucram, direta e indiretamente, com o trabalho sexual.

Conteúdos do blog

As publicações deste blog trazem conteúdos institucionais do Diálogos pela Liberdade – Unidade da Rede Oblata Brasil, bem como reflexões autorais e também compartilhadas de terceiros sobre o tema prostituição, vulnerabilidade social, direitos humanos, saúde da mulher, gênero e raça, dentre outros assuntos relacionados. E, ainda que o Instituto das Irmãs Oblatas no Brasil não se identifique necessariamente com as opiniões e posicionamentos dos conteúdos de terceiros, valorizamos uma reflexão abrangente a partir de diferentes pontos de vista. A Instituição busca compreender a prostituição a partir de diferentes áreas do conhecimento, trazendo à tona temas como o estigma e a violência contra as mulheres no âmbito prostitucional. Inspiradas pela Espiritualidade Cristã Libertadora, nos sentimos chamadas a habitar lugares e realidades emergentes de prostituição e tráfico de pessoas com fins de exploração sexual, onde se faz necessária a presença Oblata; e isso nos desafia a deslocar-nos em direção às fronteiras geográficas, existenciais e virtuais. 

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *