PUBLICAÇÕES

Celebração em memória das mulheres recentemente falecidas

Compartilhar

IMG_5072

Uma missa de sétimo dia em memória de duas mulheres mortas em acidente de transito foi realizada na sede do Projeto Oblata Diálogos pela Liberdade esta segunda feira , dia 21 de agosto.

Durante a celebração eucarística lembramos também de outras mulheres acompanhadas por nossa Entidade e falecidas nestes últimos anos.  Presidiu o padre jesuíta Carlos Domingos Cardoso. A cerimônia reuniu dezenas de pessoas. Estiveram presentes amigas, e integrantes do nosso Projeto, assim como de outros projetos irmãos como Jocum, que também atendem esta realidade social. Algumas das colegas das falecidas contaram emocionadas histórias  sobre elas, compartilhando sentimentos ao mesmo tempo tristes e alegres, lembranças singelas e profundas de companheiras de viagem.

O nosso coral,   que animou  os cânticos da missa, contribuiu para tornar ainda mais emocionante a homenagem às nossas amigas. Ao fim da celebração, todos se fizeram presentes num só coro com a bênção final.

 
 
 

Conteúdos do blog

As publicações deste blog trazem conteúdos institucionais do Diálogos pela Liberdade – Unidade da Rede Oblata Brasil, bem como reflexões autorais e também compartilhadas de terceiros sobre o tema prostituição, vulnerabilidade social, direitos humanos, saúde da mulher, gênero e raça, dentre outros assuntos relacionados. E, ainda que o Instituto das Irmãs Oblatas no Brasil não se identifique necessariamente com as opiniões e posicionamentos dos conteúdos de terceiros, valorizamos uma reflexão abrangente a partir de diferentes pontos de vista. A Instituição busca compreender a prostituição a partir de diferentes áreas do conhecimento, trazendo à tona temas como o estigma e a violência contra as mulheres no âmbito prostitucional. Inspiradas pela Espiritualidade Cristã Libertadora, nos sentimos chamadas a habitar lugares e realidades emergentes de prostituição e tráfico de pessoas com fins de exploração sexual, onde se faz necessária a presença Oblata; e isso nos desafia a deslocar-nos em direção às fronteiras geográficas, existenciais e virtuais. 

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *