PUBLICAÇÕES

CONFRATERNIZAÇÃO DE NATAL NO DIÁLOGOS PELA LIBERDADE

Compartilhar

Na tarde do dia 19/12/2018, celebramos a Festa de Natal no Diálogos pela Liberdade – Rede Oblata Brasil, com a participação de 50 mulheres.


Com o tema: BELÉM É AQUI! CANTINHO DA ESPERANÇA, agradecemos a Deus pelo ano que se encerra e pedimos a graça de um 2019 cheio de Paz, Esperança e Justiça Social.

“Há muito tempo atrás, na Galiléia, havia um pequeno lugarejo chamado Nazaré que ficava situado num vale fértil e muito bonito, onde moravam cerca de cinco mil pessoas, a maioria camponeses sem estudos.

Devido a sua localização era pouso obrigatório das caravanas que vinham de Damasco, ou de Jerusalém, o que trazia para a cidade gente de toda espécie e tornava Nazaré mal frequentada e mal falada.

Era um tempo de muita opressão e injustiça, pois o governo de Roma explorava o povo cobrando altos impostos. Apesar das dificuldades as pessoas que ali viviam não desanimavam sonhava e lutavam pela justiça social. Acreditavam que um novo Rei viria e os salvariam da crueldade dos políticos da época.  Este era o assunto de todas as rodas de conversa: “nascerá um menino, um novo Rei justo e solidário que nos libertará da opressão do rei atual”.  O rei achava que aquilo era crendice boba do povo simples da Galiléia. Mas, no fundo no fundo, se sentia ameaçado e às vezes, nem conseguia dormir de tanto medo de perder seu trono.

Na pequena cidade de Nazaré havia um casal chamado José e Maria. Eles estavam muito felizes porque estava para chegar o seu primeiro filho. Mas, mesmo estando grávida, Maria e José tiveram que fazer uma longa viagem até Belém. O motivo desta viagem era cumprir as ordens do governo que, de tempos em tempos, exigia que todas as pessoas da região se cadastrassem e através das informações recebidas determinavam o valor dos impostos a serem pagos por cada pessoa.

Viajando sobre um jumentinho, em direção a Belém, Maria que já estava no final da gravidez, se sentiu muito cansada e pediu ao marido José que arrumasse uma pensão para eles passarem a noite. Acontece que Belém estava cheia de gente e não tinha nenhum lugar onde eles pudessem se hospedar.  Já exaustos de tanto procurar um pouso alguém lhes ofereceu o curral da casa.

E foi nesta noite que Maria começou a sentir as dores de parto.  Assim nasceu Jesus! Maria o enrolou em uns paninhos enquanto José limpava – bem limpinho –  um cocho para servir de berço para o bebê. Depois de amamentá-lo Maria colocou o filhinho no bercinho improvisado por José e ambos ficaram comtemplando a beleza daquela criança.

Alguns pastores que estavam por ali cuidando de suas ovelhas viram que aquela noite tinha um brilho diferente, um lindo cometa brilhava no céu. Observando aquela enorme estrela eles  sentiram muito medo. Afinal nunca tinham visto nada igual. Porém, no fundo de seus corações ouviram uma voz que lhes dizia: “não tenham medo! Tenho para vocês uma Boa Notícia, uma grande alegria para todo o povo. Nasceu para vocês o Messias, o Salvador. Vocês saberão que o encontraram quando virem uma criancinha enrolada em uns paninhos deitada em um cocho que lhe serve de bercinho. Corram! a estrela lhes mostrará o caminho.

Todos se maravilharam diante da notícia que os pastores lhes trouxeram: havia nascido um novo Rei, não como os poderosos esperavam, mas humilde, junto dos pobres sem trono, ouro ou poder. Seu nome é Emanuel, Deus conosco”. (Texto adaptado por Isabel Brandão).

Conteúdos do blog

As publicações deste blog trazem conteúdos institucionais do Diálogos pela Liberdade – Unidade da Rede Oblata Brasil, bem como reflexões autorais e também compartilhadas de terceiros sobre o tema prostituição, vulnerabilidade social, direitos humanos, saúde da mulher, gênero e raça, dentre outros assuntos relacionados. E, ainda que o Instituto das Irmãs Oblatas no Brasil não se identifique necessariamente com as opiniões e posicionamentos dos conteúdos de terceiros, valorizamos uma reflexão abrangente a partir de diferentes pontos de vista. A Instituição busca compreender a prostituição a partir de diferentes áreas do conhecimento, trazendo à tona temas como o estigma e a violência contra as mulheres no âmbito prostitucional. Inspiradas pela Espiritualidade Cristã Libertadora, nos sentimos chamadas a habitar lugares e realidades emergentes de prostituição e tráfico de pessoas com fins de exploração sexual, onde se faz necessária a presença Oblata; e isso nos desafia a deslocar-nos em direção às fronteiras geográficas, existenciais e virtuais. 

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *