Irmãs Oblatas

156 Anos desde a abertura da primeira casa de acolhida Oblata

Compartilhar

No dia 01 de junho de 1864, na Cidade de Ciempozuelos – Madrid, Padre Serra e Madre Antonia fundaram a primeira Casa de Acolhida para receber às mulheres que depois de se recuperarem das doenças infecciosas adquiridas pela prática da prostituição, buscavam uma oportunidade para refazerem suas vidas.

Hoje, com muita alegria, comemoramos os 156 anos desde a nossa fundação, fazemos memória agradecida pelo Espírito que sempre nos acompanhou. Atualmente a Família Oblata está presente em 15 países dando continuidade a semente plantada por seus fundadores do ano de 1864.

No Brasil, a missão Oblata chegou no ano de 1935 e hoje desenvolvem a missão através dos quatro projetos da Rede Oblata: Pastoral da mulher (Juazeiro da Bahia); Diálogos pela Liberdade (Belo Horizonte); Força Feminina (Salvador); e Projeto Antonia (São Paulo).

A unidade Diálogos pela Liberdade se faz presente em Belo Horizonte desde 1982, lutando a favor da justiça, respeito e contra os estigmas que viola os direitos das mulheres que exercem a prostituição, trabalhando na defesa da vida e dignidade dessas mulheres, a fim de promover seus direitos e melhores condições de vida.

É com alegria que damos seguimento a grandiosa missão que iniciou com os nossos fundadores. A família Oblata compartilha essa causa com as irmãs, leigas/os, mulheres e todas as pessoas que se identificam e se sensibilizam com o Carisma e Espiritualidade da Congregação.

Saiba mais sobre nós :

Instagram

Facebook

Conteúdos do blog

As publicações deste blog trazem conteúdos institucionais do Diálogos pela Liberdade – Unidade da Rede Oblata Brasil, bem como reflexões autorais e também compartilhadas de terceiros sobre o tema prostituição, vulnerabilidade social, direitos humanos, saúde da mulher, gênero e raça, dentre outros assuntos relacionados. E, ainda que o Instituto das Irmãs Oblatas no Brasil não se identifique necessariamente com as opiniões e posicionamentos dos conteúdos de terceiros, valorizamos uma reflexão abrangente a partir de diferentes pontos de vista. A Instituição busca compreender a prostituição a partir de diferentes áreas do conhecimento, trazendo à tona temas como o estigma e a violência contra as mulheres no âmbito prostitucional. Inspiradas pela Espiritualidade Cristã Libertadora, nos sentimos chamadas a habitar lugares e realidades emergentes de prostituição e tráfico de pessoas com fins de exploração sexual, onde se faz necessária a presença Oblata; e isso nos desafia a deslocar-nos em direção às fronteiras geográficas, existenciais e virtuais. 

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *