Irmãs Oblatas

Celebrando a Páscoa de Madre Antônia

Compartilhar

Dia 28 de fevereiro, as Irmãs Oblatas do Santíssimo Redentor, unidas à família Oblata, fizeram memória dos 123 anos da Páscoa de nossa fundadora, Antonia Maria da Misericórdia.

Uma memória que celebramos com gratidão e com olhar esperançoso apesar da pandemia vivida em todas as partes do mundo e das consequências catastróficas para a maioria, que tudo isto provocou.

Junto à celebração particular da nossa família Oblata, nesta data, também celebrou-se com toda a Igreja universal o II Domingo de Quaresma, que continua a convidar-nos à conversão do coração.

Antonia inicia seu processo de conversão quando deixa a Corte, e é convidada a colaborar com nosso Fundador (José Mª Benito Serra) para abrir uma casa para mulheres que exerciam prostituição . Ela concretiza sua fé em uma obra de Redenção, inicia um caminho passando pelo deserto, com atitude de escuta à Palavra e atenta aos acontecimentos e à realidade; deixou seguranças, privilégios e comodidades para iniciar uma viagem cheia de incertezas, dúvidas, medos, solidão. Uma viagem tão apaixonada a qual dedicou sua vida inteira nesta missão como Oblata do Santíssimo Redentor.

Juntamente com Antonia, fazemos memória de todas as Irmãs Oblatas que nos precederam, e que também fizeram uma viagem apaixonante e estão a desfrutar do abraço eterno do Pai.

Confira o portal da Rede Oblata, e leia a matéria completa.

Conteúdos do blog

As publicações deste blog trazem conteúdos institucionais do Diálogos pela Liberdade – Unidade da Rede Oblata Brasil, bem como reflexões autorais e também compartilhadas de terceiros sobre o tema prostituição, vulnerabilidade social, direitos humanos, saúde da mulher, gênero e raça, dentre outros assuntos relacionados. E, ainda que o Instituto das Irmãs Oblatas no Brasil não se identifique necessariamente com as opiniões e posicionamentos dos conteúdos de terceiros, valorizamos uma reflexão abrangente a partir de diferentes pontos de vista. A Instituição busca compreender a prostituição a partir de diferentes áreas do conhecimento, trazendo à tona temas como o estigma e a violência contra as mulheres no âmbito prostitucional. Inspiradas pela Espiritualidade Cristã Libertadora, nos sentimos chamadas a habitar lugares e realidades emergentes de prostituição e tráfico de pessoas com fins de exploração sexual, onde se faz necessária a presença Oblata; e isso nos desafia a deslocar-nos em direção às fronteiras geográficas, existenciais e virtuais. 

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *